22 outubro 2009

O meu agora e a minha LUZ


Ola muito boa noite a todos.
Aqui venho mais uma vez escrever um bocado. Desde a ultima vez que passei por cá, muito se passou, criou, transformou, só falta mesmo eu entrar em metamorfose e me transformar em bicho!
Pois o meu casulo já tem tanta seda que só falta ter asas. Continuando...
Meti-me na Portugal Telecom a trabalhar, através de uma empresa temporária (os novos chupistas mascaram-se desta forma), comecei numa linha técnica, onde confirmava se o técnico instalava o serviço ao cliente, ligando directamente ao cliente. Após um mês, lançaram me aos leões! No próprio dia disseram me que ía começar a trabalhar noutro departamento, e cá estou eu na selva! Pessoal com vários horários e part times, mais homens que mulheres. Comecei com formação "on job", desta vez estou o dia todo a receber contactos dos técnicos, prestando apoio informático. Mesmo com acesso à Internet, não tenho muito tempo para molengar, passo o dia todo ao telefone. Mas dá para ir a pé para o trabalho, e não me aborrece estar ali. Já aprendi mais do que sabia. Amanhã há mais!

Este ano não concorri à universidade, atrasei mais um ano, a possibilidade de poder enriquecer conhecimentos sobre o que gosto mesmo de fazer... o ano passado tambem dizia: para o proximo ano é que é... enfim. Agora vejo que me iludo facilmente, e sei que por mais que a vida dê voltas, não devemos desistir dos nossos objectivos.



Free like a bird!

Cá ando na minha liberdade, sem asas para voar mas mais livre que o pássaro.
Perante o meu ultimo episódio amoroso, quer dizer, os dois últimos, vejo que é bom ser amado, enquanto tudo é novo. Quando algo nos encanta. Se esse algo nos encanta sempre, o amor está la também. A mulher questiona-se sobre o que sente, e se não se sente confortável, ela prefere fugir À realidade, e matar-se em pensamentos: como vou dizer que não te amo, quando és uma das melhores pessoas que conheci até hoje... não se faz isso `as boas pessoas... lol! Ou então não conseguem perceber a minha forma de encarar as coisas, e pensam que como estou sempre a gozar, que não sou maduro, que sou infantil. Nunca cuspas para o ar, pode te cair em cima. A sinceridade é das melhores virtudes que podemos ter.
Eu sou muito instável, tudo a minha volta parece que morre, não tenho negócios para aumentar capital, não pratico meios obscuros para atingir fins. E nesta instabilidade, tambem nao proporcionaria algo confortável para alguém.


  • Para a minha Luz
Deste-me vontade quando me chamaste poeta.
Deixa-me ser o teu poeta anónimo como outrora fui.
Se a minha pinta fosse de actor, teria agido em vez de escrever, mas sou assim de palavras cheias... Falo para ti agora, eu disse-te que me apetecia dizer algo momentaneamente, mas preferia escrever aqui para poderes ler depois.
Sentes falta da minha poesia, eu sinto falta de nunca me ter misturado contigo (ainda bem que não, prefiro ter-te desta forma, sem te ter).
Topa a minha leitura dos momentos:
quando eram poesias anónimas e primeiros contactos, eu pensava que a persistência seria a minha gloria, mas aprendi que as coisas não funcionam como nós queremos;
quando vim para Lisboa, estávamos num momento em que podíamos nos ter enrolado, mas nada estava a nosso favor, estar distante é algo muito duro para algo tão puro, então mais vale sermos o que somos, e não deixar de viver;
desde essa noite, cada um viveu na sua, poucas vezes falamos, não nos misturamos, tivemos os nossos filmes com outras pessoas... e dou por mim hoje, tal e qual como antes, a pensar em relações passadas, bons e menos bons momentos... tal como te vês a ti a pensar. E sentimos a solidão que nos acompanha. E pensamos realmente que nada nos favorece para ser feliz.
Eu vivo isto como se fosse a minha historia de amor. Nunca tenho por perto aqueles de que mais gosto, e isso faz com que goste mais deles ainda. Tu fazes parte desta tropa. És a minha longa metragem que não tem fim. Se fosse o ultimo dia da minha vida, esse dia eu iria querer estar contigo. Podemos não partilhar da mesma vontade. Cada um com a sua vontade, ya?
Pensei que conseguiria estar bem com alguém, mas tudo acaba mal. Ainda bem que eu e tu não estragamos a certa intimidade que temos. Nada é perfeito, mas contigo teria de ser. Entendes?
E tu sentes isso em ti também. Eu quero te encontrar, não no nosso próximo encontro esporádico e inesperado, mas sim num futuro em que estamos com a mesma vontade de viver. Se isso acontecer, vou poder dizer que sempre fui feliz. Mas até lá, resta-me este pensamento, vou continuar feliz à minha maneira, não te vou procurar, não vou dizer que te amo, não vou sonhar com finais felizes, apenas quero continuar a ser eu, e a ser o que sou para ti. O que faz e acontece só em sonhos. Quando puderes, dá-me um chapo para eu acordar.

Paz





2 comentários:

dá-me uma dica disse...

Profundas palavras comprovam, as essencias que nos seguem e nos limtam, espermos momentos ideais sem necessidades altruídas.
falamos mais do que uma lingua, somos mais com um humano.
A ti te escrevo com plurais, es demasiado bom para um passado cintilante.
Brilha comigo, contempla o céu, e espera que alguém se junte.
Isto é o melhor mundo que temos, wondeful world.

Carla Camilla disse...

Nossa que coincidencias de palavras, sinto os mesmos sonhos , a mesma loucura...
minto...sempre achamos que nosso sentimento é o maior do mundo...
paz e bons voôs.

Enviar um comentário

 
Copyright 2009 Cevada